Grés de Silves – assim nasceu um oceano

No final do Paleozoico a orogenia varisca fechava um oceano dando origem a uma cadeia de montanhas : Orógeno Varisco. Cedo esta cadeia montanhosa foi erodida e um novo Ciclo Wilson teve início: o Ciclo Alpino. Na Praia do Telheiro podemos observar alguns destes episódios da evolução da  cadeia paleozoica e do início do Ciclo Alpino.

A Bacia mesozoica do Algarve (Foto 1) desenvolveu-se em regime tectónico de estiramento e adelgaçamento litosféricos, associados com a abertura do Atlântico central e, eventualmente, com a formação de crosta oceânica na parte ocidental do Mar de Tétis, entre o Algarve e o Norte de África.

ALGARV~2

Foto 1 – Mapa geológico do Algarve simplificado. Roxo – Grés de Silves; Azul escuro – Jurássico; Azul Claro – Cretácico; Amarelo – Miocénico (Cenozoico)

Os sedimentos do Triássico Inferior a Superior evoluíram desde ambientes de sedimentação continental, essencialmente fluvial, até marinho pouco profundo.

Estas  unidades  registam  alguns  aspectos,  únicos  na bacia, tais como serem o registo  dos primeiros eventos de deformação de extensão crostal mesozóica, o único episódio de vulcanismo que ocorreu nesta margem continental, a transição de condições de sedimentação de continental a costeiro e marinho e a existência única de um período longo e duradouro (≈20 Ma) de condições ambientais e de sedimentação, uniformes em toda a bacia mesozoica algarvia.

Sobre  os  Arenitos  de  Silves  são  visíveis  espessas  camadas  de  pelitos  avermelhados  e esverdeados (Foto 2),  num  conjunto  que  perde  gradualmente  a  individualização  da  base  para  o  topo . Trata–se do  Complexo  margo  – carbonatado  de Silves  que  foi  atribuído  ao  Triássico  (Hetangiano).

Complexo  margo  –  carbonatado  de  Silves  (Bacia Algarvia)

Foto 2 – A  base  do  Complexo  margo  –  carbonatado  de  Silves  é  ainda  a atribuída  ao  Triásico.  Corresponde  a  uma  sucessão  de  sequências  de  arenitos finos,  siltitos,  pelitos  e  dolomitos.  Os  dolomitos  do  topo  da  sequência  são  geralmente cinzentos e de  aspecto homogéneo. Sobre estes é possível observar na Praia do Telheiro os calcários do Jurássico depositados em ambientes marinhos de baixa profundidade.

As  rochas  paleozoicas  que  aqui  afloram  pertencem  à  Formação  da  Brejeira  (Carbónico)  e são  constituídas  por  bancadas  de  xistos  cinzentos  e  arroxeados  alternados  por  grauvaques  de tom  esverdeado  ou  amarelado  por  alteração.

Estas  rochas (foto 3)  foram  claramente  actuadas  pela orogenia  varisca  que  nelas  imprimiu  estruturas  de  deformação,  observando–se  dobras com  plano  axial  vertical.  Para  além  de  terem  sido  deformadas, estas  foram  posteriormente  levantadas  e  arrasadas,  à  semelhança  de  outras raízes  de  grandes  cadeias  montanhosas  suas  contemporâneas.  Finalmente,  foram  cobertas  por sedimentos  de  origem  continental  –  aluviões  –  trazidos  por  cursos  de  água , na sequência do levantamento e desmantelamento da Cadeia Varisca.

Praia do Telheiro (Esquema)

Foto 3  – As  formações  da  base  do  Mesozoico  –  Arenitos  de  Silves  –  assentam  sobre  as  rochas  da Formação  da  Brejeira  numa  nítida  discordância  litológica  e  geométrica.  Estas  formações areníticas sub–horizontais são  atribuídas  ao  Triássico  (Arenitos  de  Silves).

Discordância angular Paleozoico-Triássico

Foto 4 –  Os  Arenitos  de  Silves  são  constituídos  por  arenitos  de  grão  médio  a  fino,  apresentam estratificação  oblíqua  e  coloração  avermelhada  ou  amarelada.

Estratificação entrecruzada

Foto 5 – Na Praia do Telheiro  pode  observar–se  dunas  consolidadas  do Cenozoico (plistocénicas)  com  feixes  oblíquos  de  grande  escala  e  desenvolvimento  abundante  de rizoconcreções.  Estas  dunas  são  correlativas  de  outras  presentes  no  litoral  vicentino testemunham um nível do mar muito abaixo do actual.

Para ver mais fotos da Bacia do Algarve (clique na hiperligação)

Fonte: https://sapientia.ualg.pt/bitstream/10400.1/2679/4/Terrinha%20et%20al_2006.pdf

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: