Migmatitos – rochas de ultrametamorfismo

O que são migmatitos?

Uma definição: um migmatito é uma rocha formada por fusão parcial.

Os migmatitos são desta forma, rochas heterogéneas à escala macroscópica e microscópica. Devido ao processo de fusão parcial, os migmatitos são formados por duas partes distintas: o paleossoma e o nesossoma (Foto 1).

A

Foto 1 –  Praia de Lavadores em Terreno Finisterra. Rochas diatexíticas mesocratas onde se pode observar o nesossoma e o paleossoma.

O paleossoma é a parte da rocha que não sofreu fusão parcial. Por exemplo, num afloramento de migmatito proveniente da fusão de xistos pelíticos e anfibolitos (protólito), se o anfibolito não fundiu, este é denominado de paleossoma.

O nesossoma é porção nova da rocha resultante da fusão da rocha original, também denominada de protólito. O nesossoma pode ainda ser dividido em leucossoma  (constituído por minerais félsicos) Foto 2,  e melanossoma (constituído por minerais máficos).

 

Diatexitos (Lavadores - Finisterra)-117

Foto 2 – Leucossoma à direita. Constituído por minerais félsicos. Terreno Finisterra – Lavadores.

As rochas migmatíticas são rochas formadas em condições de ultrametamorfismo, na transição do domínio metamórfico para o domínio magmático.

Os migmatitos designam-se por Metatexitos ou Diatexitos consoante a fração fundida (melt) gerada durante os processos de fusão parcial.

Os metatexitos são rochas heterogéneas à escala macroscópica onde as estruturas anteriores à fusão parcial se encontram preservadas (paleossoma) e a fração de nesossoma é baixa, Foto 3.

35660774286_8a29d11425_k

Foto 3 – Metatexito (Praia da Madalena – Terreno Finisterra). Nas Praias de Madalena Norte e de Madalena Sul afloram litologias migmatíticas, com larga predominância de metaxistos. Estas rochas apresentam foliação bem marcada no paleossoma metapelítico a quartzo-pelítico.

Nos diatexitos, Foto 4 e 5,  o nesossoma é dominante, as estruturas anteriores à fusão parcial estão ausentes o nesossoma e podem ser substituídas por estruturas de fluxo.

Pedras amarelas - Finisterra-3

Foto 4 – Diatexitos na Praia das Pedras Amarelas (Terreno Finisterra). As litologias diatexíticas afloram sobretudo na zona da Praia das Pedras Amarelas e na Praia de Salgueiros. Estas rochas apresentam características consonantes com as descritas por Sawyer (2008). Predominam rochas leucocratas sem foliação ou com foliação mais ou menos incipiente, com um padrão de orientação muito irregular. É a cor amarelada desta litologia predominante que é responsável pela designação da Praia.

Diatexitos (Lavadores - Finisterra)-8

Foto 5 – Diatexitos com melanossoma (constituído por minerais máficos). Predomínio das rochas diatexíticas mesocratas finas com abundantes restitos, tendência porfiróide, e frequentes lentículas e vénulas pegmatíticas. O afloramento deste maciço destaca-se do ponto de vista morfológico, relativamente ao granito de Lavadores, por não ocorrerem os grandes blocos arredondados

Contexto geológico

Associada à evolução das cadeias orogénicas, no território português ocorreram importantes episódios de fusão parcial da crosta continental, como é evidenciado pela génese e exumação de maciços migmatíticos e graníticos, no geral intimamente relacionados.

Na zona costeira de Lavadores-Madalena afloram rochas gnaisso-migmatíticas diatexíticas e metatexíticas, constituindo o bordo ocidental do maciço granítico postectónico de Lavadores, datado de 298 Ma.

Estas rochas estão englobadas na Unidade de Lourosa e pertencem ao Terreno Finisterra (um antigo continente). Do ponto de vista geotectónico este setor costeiro corresponde ao limite entre o Terreno Ibérico (Zona Centro Ibérica) e o Terreno Finisterra (Unidade de Lourosa) materializado na Zona de Cisalhamento Porto-Tomar, Foto 6. As rochas migmatíticas apresentam deformação varisca, de caráter cisalhante direito, mais evidente nos setores em que predominam rochas metatexíticas.

A1

Foto 6 –  Contacto intrusivo do Granito de Lavadores e os migmatitos do Terreno Finisterra. No seu conjunto, este maciço metamórfico, aflorante numa faixa costeira estreita e irregular, no contacto ocidental do maciço granítico de Lavadores, apresenta variações consideráveis por predominância de diferentes litologias: na Praia das Pedras Amarelas é notória uma predominância de fácies diatexíticas, com predominância de rochas leucocratas, ainda que tendo associadas de modo subordinado fácies mesocratas de granularidade fina essencialmente biotíticas. Nas Praias de Madalena Norte e de Madalena Sul são predominantes as fácies metatexíticas. O maciço não aflora de modo contínuo, quer devido à geometria do contacto intrusivo do Granito de Lavadores, quer porque fica tapado por depósitos arenosos do Quaternário, já um pouco consolidados, e pelos depósitos de praia actual.

Fontes: 

Click to access ee7508ffb680ec1e6f37937ef6ca2920.pdf

https://digitalis-dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/36314/1/Litologias%20gnaisso-migmatiticas.pdf?ln=pt-pt

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: