Bacias Sedimentares

Uma bacia sedimentar corresponde a uma depressão topográfica, em regra de origem tectónica, ocupando, por vezes, áreas muito vastas na crusta terrestre. Estas depressões são preenchidas por depósitos, constituídos essencialmente por rochas sedimentares, embora possam também existir rochas vulcânicas. Estas bacias apresentam um registo deposicional de uma determinada área podendo este registo ser interrompido por lacunas de maior ou menor duração.

A existência destas estruturas geológicas implica, geralmente, um abatimento da crusta, designada por subsidência. Esta subsidência corresponde a um afundamento da crosta que permite formar uma bacia oceânica ou continental devido a afundamento, estiramento ou ao peso dos sedimentos acumulados.

Existem diversos tipos de bacias sedimentares, que se caracterizam por dimensões elevadas e permitirem a acumulação de camadas sedimentares com vários quilómetros de espessura. As bacias sedimentares podem ser agrupadas em três categorias principais de acordo com a sua evolução. Assim, podemos ter bacias cuja evolução é:

  1. Controlada pelo adelgaçamento litosférico. São incluídas neste tipo as fossas de afundimento (riftes) como ocorre na dorsal médio-oceânica ou no Rifte Africano e nas bacias sedimentares associadas a margens passivas. Relativamente a estas a subsidência ao longo de uma margem passiva de uma placa provoca o afundamento de estratos sedimentares e permite a acumulação de mais sedimentos. A plataforma continental portuguesa constitui um bom exemplo destas bacias, Foto 1.
  2. Determinada por arrefecimento da litosfera continental ou da litosfera oceânica (exemplo das planícies abissais).
  3. Controlada principalmente pela geometria, mais concretamente pela flexão da litosfera, tanto oceânica (como num processo de subducção) como por flexão continental. Durante o processo de formação de uma fossa oceânica forma-se uma depressão que vai sendo preenchida por sedimentos. Estas bacias são designadas por alguns investigadores, por bacias frontais pois formam-se em arcos de flexão da litosfera. Os sedimentos depositados nestas fossas constituem os designados «prismas acrecionários».

murtinheira

Foto 1 – Enquadramento geográfico e tectónico da Bacia Lusitaniana e de outras bacias da Margem Ocidental Ibérica. Estratos do Jurássico (Mesozoico) da Praia da Murtinheira (Figueira da Foz) pertencentes à Bacia Lusitaniana.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: