Fósseis em âmbar

Para ser possível formar um fóssil, o corpo terá de resistir, total ou parcialmente, à sua decomposição, o que pode acontecer quando fica envolvido por uma substância impermeável, como o gelo ou uma resina, Foto 1.

fossilização em âmbar

Foto 1 – A conservação como processo de fossilização é aquela em que se conserva, pelo menos parcialmente, o material original. Isto ocorre quando os seres vivos ficam incluídos em materiais, por exemplo a resina, que os preservam do contacto com o meio ambiente, ficando preservados dos microrganismos decompositores e de todos os processos químicos e físicos de degradação.

O âmbar (sucinite) é uma resina fóssil derivada de uma espécie extinta de pinheiro. As resinas são compostos orgânicos segregados por certas plantas e insetos. Geralmente são insolúveis na água. A rosina e a goma-laca são resinas naturais típicas. Relativamente ao âmbar, extrai-se de minas existentes na Polónia, Lituânia, Rússia e encontra-se nalgumas costas marítimas do Mar Báltico. É um material complexo, que contém entre os seus constituintes, o ácido sucínico (resina).  A sua cor varia do amarelo-claro ao castanho, sendo empregado na confeção de adornos ou ornamentos e ainda como material isolante na fabricação de aparelhagem elétrica.

O conjunto de processos que conduz à formação de um fóssil a partir de um organismo denomina-se fossilização e é um caminho longo e complexo, que pode durar milhões de anos e que pode ocorrer apenas em condições favoráveis.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: