Mineral

Por definição, um mineral, Foto 1,  é uma substância sólida, natural e inorgânica, de estrutura cristalina e com composição química fixa ou variável dentro de limites bem definidos. Assim, uma substância para ser considerada um mineral terá de: 

  • ser um sólido, o que exclui os líquidos e os gases (à exceção de mercúrio); 
  • ocorrer naturalmente, isto é, formar-se sem a intervenção do Homem; 
  • ser inorgânico, o que implica que todas as substâncias produzidas por seres vivos são sejam consideradas minerais. É o caso das pérolas, que apesar de serem idênticas química, física e estruturalmente ao mineral aragonite, não são minerais; 
  • ter uma estrutura cristalina, isto é, as suas partículas constituintes definirem uma distribuição regular no espaço; 
  • ter uma composição química definida, fica ou variável dentro de limites definidos, que possa ser representada por uma fórmula química. O quartzo, por exemplo, tem uma composição química fixa, já a composição do mineral olivina, é variável. 

Labradorite A (Berlim)

Foto 1 – Labradorite (um dos membros cálcicos intermédios das plagioclases). Também chamada “Pedras de Lua”, apresentam em determinadas superfícies um brilho ou iridiscência atribuído ao intercrescimento lamelar micropertítico ou criptopertítico (intercrescimento heterogéneo de lâminas finas de feldspatos rico em sódio num cristal de feldspato potássico).

Na natureza, ainda substâncias sólidas naturais e inorgânicas que, contudo, não possuem estrutura cristalina, isto é, as suas partículas constituintes não definem uma distribuição regular no espaço. Estas substâncias designam-se mineralóides (apresentam estrutura amorfa), Foto 2 

Opala 12 (Berlim)

Foto 2OpalaEsta  substância  é amplamente  utilizada  pelo  homem  desde  a  Pré-História,  seja  como  utensílio  de  caça  e  defesa,  ou  como  objetos de  adorno.  A  sílica  hidratada  (SiO2.nH2O)  é  designada  como  opala  e  é  classificada  quanto  ao  seu  grau  de cristalinidade,  sendo  que  podem  variar  de  amorfas  a  mais  cristalinas. 

Nos sólidos amorfos, a distribuição das partículas elementares (átomos, iões ou moléculas) é aleatórias. No caso dos sólidos cristalinos, as partículas elementares definem uma distribuição regular no espaço. Os minerais são sólidos de estrutura cristalina. Os mineralóides são sólidos de estrutura amorfa/vítrea.    

Na identificação dos minerais recorre-se a um conjunto de propriedades químicas e físicas. O conhecimento destas propriedades, bem como da maneira prática de as investigar, é bastante útil  na sua identificação. 

Vídeo

Powerpoint:

Exercício:

Algumas pedras preciosas são variedades de corindo, um mineral raro, composto por átomos de alumínio e de oxigénio (Al2O3). Na estrutura cristalina do corindo, alguns dos átomos de alumínio podem ser substituídos por crómio, formando-se uma gema vermelha brilhante, designada rubi, ou por ferro e titânio, formando-se safiras azuis.

A característica que faz do corindo o termo 9 da escala de Mohs verifica-se, também, no rubi e na safira azul. Relacione essa característica com a utilização, em joalharia, das referidas variedades do corindo.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: