Microalgas

As microalgas são organismos fotossintéticos procarióticos ou eucarióticos com estrutura simples unicelular ou multicelular que podem crescer rapidamente e conseguem viver em condições adversas.

Um exemplo de microalgas procarióticas são as cianobactérias (Cyanophyceae) e microalgas eucarióticas são as algas verdes (Chlorophyta) e as diatomáceas (Bacillariophyta). As microalgas estão presentes em todos os ecossistemas da Terra, não só aquáticos mas também terrestres, e representam uma grande variedade de espécies que vivem em diversas condições ambientais. Esta grande variedade de diferentes espécies de microalgas faz também com que haja uma grande diversidade de aplicações onde estes microrganismos se inserem, tais como captação de CO2 para a sua alimentação, biorremediação de águas residuais, produção de compostos bioactivos e produtos de química fina para cosmética, aplicações na saúde humana, alimentação em instalações de aquacultura e ainda como fonte de energia.

As microalgas podem assumir vários tipos de metabolismo, centrado em duas formas principais de nutrição, ou seja o autotrofismo e o heterotrofismo, dos quais o autotrofismo é o mais importante.

O autotrofismo, também chamado de fotoautotrofismo, utiliza a luz como fonte de energia única, para redução de CO2 pela oxidação de substratos, que é convertida em energia química por meio de reações fotossintéticas, com a libertação de O2.  

O heterotrofismo utiliza compostos orgânicos como fonte de energia e carbono.

Além destas vias principais de nutrição existem ainda outros metabolismos, não menos importantes, que são um misto dos dois trofismos anteriores, são eles o mixotrofismo e o fotoheterotrofismo.

O mixotrofismo, consiste na realização da fotossíntese como principal fonte de energia, apesar dos compostos orgânicos e do CO2 serem essenciais para o crescimento celular. Dentro deste tipo de trofismo existe ainda o anfitrofismo que significa que os microrganismos conseguem viver auto e heterotroficamente, dependendo da concentração de compostos orgânicos e intensidade luminosa disponível.

O fotoheterotrofismo, também conhecido como foto-organotrofismo, descreve um metabolismo em que a luz é necessária para que os compostos orgânicos sejam consumidos como fonte de carbono.

Existe ainda o modo nutricional auxotrófico que consiste na necessidade de apenas pequenas quantidades de compostos orgânicos essenciais, como vitaminas e aminoácidos.

Mas, não só o carbono orgânico ou substrato (fonte de carbono), vitaminas, sais e outros nutrientes (como o azoto e fósforo) são necessários para o crescimento de microalgas, também é necessário que se mantenha um equilíbrio entre outros parâmetros operacionais, como o pH, temperatura, intensidade luminosa, entre outros.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑